header_img

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Clássicos do design vão ao supermercado

Matéria publicada no site do Estadão/economia no dia 19 de abril 2010

Tradicionalmente, móveis projetados por designers premiados costumam estar à venda em lojas tão sofisticadas quanto esse tipo de peça. Mas um movimento recente subverteu essa lógica e colocou o supermercado no roteiro de compras. Desde o fim do ano passado, ao lado de panelas, geladeiras e fogões, o maior varejista do País, o Grupo Pão de Açúcar, decidiu colocar à venda no site Extra.com móveis inspirados no trabalho de designers mundialmente conhecidos.

Estão lá, por exemplo, as cadeiras Egg, criadas pelo arquiteto e designer dinamarquês Arne Jacobsen, que ficou ainda mais conhecido no mundo todo depois que o diretor Stanley Kubrick escolheu algumas de suas peças de formas futuristas para compor o cenário de 2001: Uma Odisseia no Espaço.

"Ser a primeira rede de varejo do País a vender móveis de design assinado foi uma forma de associar inovação à nossa marca e de nos diferenciarmos em um setor de concorrência muito acirrada", afirma Marcelo Nogueira, gerente de compras do Grupo Pão de Açúcar.

Quem procurar pelo site encontra também os traços de Harry Bertoia, italiano radicado nos Estados Unidos, conhecido pelos móveis de metal que desenhou nos anos 50 para a Knoll International - uma das mais importantes companhias de design da segunda metade do século XX.

Para comercializar produtos como esses, o primeiro passo do Grupo Pão de Açúcar foi identificar as peças de maior apelo comercial e que já estivessem em domínio público, ou seja, móveis cujas patentes já tivessem expirado, numa lógica próxima à dos medicamentos genéricos.

Em seguida, foi a vez de procurar fornecedores capazes de atender uma grande rede, em um mercado normalmente formado por pequenas lojas. "Temos só dois fornecedores. Não foi fácil encontrar fabricantes capazes de produzir em uma escala maior e em um prazo menor", diz Nogueira.

O site Extra.com foi escolhido como único canal de venda em função do perfil do consumidor que compra online, dono de um tíquete médio muito superior ao do que frequenta as lojas físicas. As condições de pagamento na internet, de até 12 vezes sem juros, também justificam a escolha pelo site.

A linha de design assinado começou a ser vendida em novembro do ano passado, sem estardalhaços. No primeiro mês, respondeu por 0,5% das vendas de móveis do site. Hoje, a participação é de 4%, acima das expectativas para o mês, que eram de 2%. Segundo Nogueira, os preços cobrados ajudam a explicar o resultado. "Vendemos 30% mais barato do que a média do mercado. E não é por causa da escala maior. Nossas margens são menores mesmo", garante.

A Tok&Stok, primeira rede do País a oferecer o design assinado, há mais de trinta anos, diz que não sentiu a concorrência do grande varejista. "Nosso cliente não é o mesmo. Somos especializados em móveis e decoração", afirma Ademir Bueno, gerente de Apoio Técnico, Design e Tendências da Tok &Stok.

Além das peças que já estão em domínio público, a Tok&Stok mantém uma equipe própria de designers, que assina sob a marca TS Design e responde por 40% dos dez mil itens expostos nas lojas.

A rede também trabalha com artistas convidados, para os quais a Tok& Stok paga uma porcentagem das vendas, que varia de 3% a 6% do preço dos produtos. "Os convidados seguem um briefing. O produto precisa ter um bom desenho, ser funcional e ter um preço acessível", diz Bueno. Segundo ele, o convite a designers não é motivo para se cobrar mais. "Nosso conceito não permite ter produtos mais caros só porque têm desenhos."

Vários designers, hoje com carreira própria, começaram na Tok&Stok, como Marcelo Rosenbaum e Fernando Jaeger. Este último, autor de um sucesso de vendas da rede: a cadeira Talk, que custa R$ 99 e já vendeu mais de 100 mil unidades desde o lançamento, em 1994.

"O caminho do design é se popularizar. É o que eu chamo de o bom para todos", afirma Joice Joppert Leal, do Objeto Brasil, organização para a promoção do design. De acordo com a curadora, a abertura do mercado brasileiro para os importados, no início dos anos 90, obrigou a indústria nacional a se preocupar com o desenho dos produtos.

Segundo ela, o aumento do número de escolas de design no País - que pulou de seis, no início dos anos 80, para cerca de 400 - também multiplicou a oferta de produtos com design. "E, quanto mais exposto ao desenho inovador, mais o consumidor vai se habituar a exigir produtos bonitos", afirma Joice. "O bom desenho não pode ficar restrito à Gabriel Monteiro da Silva", diz, em referência à rua de São Paulo famosa pelas lojas de luxo de decoração.

ÍCONES DO DESENHO

Linha Bertoia
Série de cadeiras em fio metálico criada pelo designer italiano radicado nos Estados Unidos Harry Bertoia. Lançada em 1950 e marcada pela funcionalidade, a linha alcançou um grande sucesso comercial

Linha Barcelona
Projetada pelo arquiteto alemão Ludwig Mies van der Rohe, diretor da Bauhaus, uma das primeiras escolas de design do mundo e uma das mais importantes expressões do Modernismo na arquitetura

Chaise-Longue Le Corbusier
Peça desenhada em 1928 por Charles Edouard Jeanneret, nome de batismo de Le Corbusier, um dos mais influentes arquitetos do século XX. Ele é um dos criadores da arquitetura funcionalista

Cátia Luz - O Estado de S.Paulo

.