header_img

sábado, 30 de abril de 2011

Simples para aperfeiçoar a realidade

(texto adaptado, originalmente publicado no Design Simples)

Penso que o designer deve ser como um cirurgião da matéria, operando e modificando a natureza com extremo rigor, sobriedade, lucidez e consciência. Devemos designar de forma coerente.

Sei que no dia-a-dia profissional da maioria as coisas não acontecem desta forma. No entanto, através deste texto, gostaria de convidar os leitores a refletirem e pensarem um pouco em como as coisas poderiam ser.

Na página “design” do nosso site, são apresentadas cinco resposta para a única pergunta: “Simples para quê?”. Hoje, explorarei a primeira das réplicas: “Para aperfeiçoar a realidade, intervindo de forma precisa em cada detalhe”.

Concordo bastante com a célebre frase de um dos principais arquitetos do século passado, Mies van der Rohe: “Deus está nos detalhes”. Um dos “dez princípios do bom design” de Dieter Rams, ex-diretor de design da Braun, afirma que: “Bom design é minucioso, até o último detalhe”. Massimo Vignelli, designer muito ligado à tradição modernista, mostra que:“A atenção aos detalhes requer disciplina. Não há espaço para desleixo, para o descuido, para a procrastinação. Cada detalhe é importante porque o resultado final é a soma de todos os detalhes envolvidos no processo criativo, não importa o que estamos fazendo. Não há hierarquias, quando se trata de qualidade. Qualidade existe ou não existe, e se não estiver lá, perdemos nosso tempo. (…) Design sem disciplina é anarquia, um exercício de irresponsabilidade.”

Ainda, complementando o discurso de Vignelli, diria que “se a qualidade não estiver lá”, não só perdemos nosso tempo, mas também energia e recursos que dificilmente serão revertidos.

Devemos assumir uma postura responsável e ao mesmo tempo humilde em relação ao ato de projetar. Isso só será possível quando realmente entendermos nossa missão, enxergando o quanto somos pequenos em relação a todo um planeta que surgiu muito tempo antes de nós e que ainda durará “ad infinitum”.

Modificar o “statu quo” é o que dá sentido a nossa profissão. Sempre existirão problemas a serem resolvidos, aos menos enquanto continuarmos humanos. Pagar suas contas no fim do mês jamais deve ser o principal problema a ser resolvido pelo designer. É necessário um diário exercício de disciplina para nos mantermos fieis e alinhados ao nosso chamado: aperfeiçoar a realidade.

__________

Rafael Gatti é idealizador do projeto Design Simples.

.