header_img

quarta-feira, 20 de abril de 2011

Top 5: Picapes pequenas

(texto adaptado, originalmente publicado no Design Simples)

Num país predominantemente rodoviário como o nosso, as picapes são de grande utilidade para micro e pequenos produtores e comerciantes que necessitem transportar cargas menores e podem até ser consideradas verdadeiros bens de capital. No entanto, o que temos observado é um forte movimento de “fetichização” deste produto utilitário, possivelmente com o objetivo de ampliar seu mercado consumidor. Desta forma seu design sofre pressões para se tornar cada vez mais visualmente perecível, para uma rápida desatualização seguida de substituição. Assim, olhamos para o exterior das caçambas das picapes mais vendidas hoje para tentar entender melhor este fenômeno e, à partir desta análise, criamos um despretencioso ranking. Conheça abaixo o resultado:

A picape Saveiro, da Volkswagen, recebeu nossa primeira colocação devido ao seu belo conjunto de formas retangulares com cantos arredondados, que lhe confere notável unidade visual. De planejamento consistente, transmite robustez através do alinhamento geométrico que torna sua construção visual evidente. O emblema do fabricante é posicionado ao centro, com bom recuo dos demais elementos, tornando a marca ainda mais perceptível. Já suas lanternas organizam as setas de forma equilibrada e seu pára-choque faz suave transição com a carroceria. Limpeza, estrutura visual evidente e simplicidade tornam este design de exterior permanente e pregnante, aliviando qualquer demanda por novas re-estilizações.

Com um partido também simples, a picape Courier, da Ford, é nossa segunda colocada por sua concepção econômica, sem exageros ou maneirismos. Dividida em serenas faixas horizontais, sua lanterna faz uma comunicação objetiva. Apenas incomoda o ruidoso filete vertical localizado com a extremidade da tampa da caçamba. Ainda, o contato do pára-choque com a carroceria não possui continuidade, parecendo truncado. No geral, despreza a estratégia do descartável. Tanto é verdade que não sofre re-estilizações há 15 anos.

O terceiro lugar ficou com a Chevrolet Montana, que apresenta um conjunto repleto de ângulos pronunciados, transições secas e volumes facetados para comunicar robustez. Suas lanternas seguem um padrão assimétrico que incrementa o número de informações visuais. A quebra da continuidade da superfície do pára-choque resulta em uma percepção fragmentada do volume e a sensação de tensão, especialmente na sua ponta mais aguda. Desta forma, não é possível ficar seguro quanto à perenidade deste exterior, que poderá pedir uma renovação em breve.

Realmente literal em sua tentativa de comunicar agressividade e resistência, a picape Strada, da Fiat, recebe o penúltimo lugar neste nosso jogo. O uso de grandes refletores como artifício para simular grandes lanternas é um excesso desnecessário. Repleto de rebuscamentos e contrastes de volumes, seu pára-choque peca quanto ao número de saliências e reentrâncias, pouco desejáveis em um produto de uso em terrenos extremos e que, em determinado momento, precisará ser lavado. Porém a predominância de peças plásticas no pára-choque é um ponto positivo numa situação de uso que precisa tolerar pequenos impactos. Em suma, esta concepção, que já é uma re-estilização do modelo anterior, não forma um bom conjunto visual. Como dizem: quanto mais se mexe…

Na última posição fica a estréia da Peugeot neste segmento, a picape Hoggar, que apresenta uma tentativa de transmitir juventude e esportividade através de formas desconstruídas. No entanto, parece ter sido desenhada numa só tacada e ainda demanda lapidação. Não é possível observar unidade formal clara, muito menos equilíbrio em suas proporções. Chama a atenção as grandes lanternas que, se analisadas isoladamente, pecam em coerência interna: enquanto sua lente sugere um partido formal (cunha ascendente), suas luzes seguem um outro (elipse). O mesmo acontece no pára-choque, cujo corpo central obedece um padrão geométrico e a transição com a carroceria segue um padrão de formas orgânicas. Assim, não resta dúvidas que a desorganização da informação visual neste caso torna este design o mais perecível de todos aqui listados. Ainda não faz um ano de seu lançamento e a picape já parece desatualizada. Algo pouco honesto com seu comprador.

E os leitores? Concordam com esta classificação? Possuem algum destes produtos? E se for o caso, qual foi o principal motivador da compra?

__________

Posição dos concorrentes no ranking de emplacamentos de Janeiro de 2011 – Fenabrave.

Strada/Fiat………….. 7.428

Saveiro/VW…………. 4.738

Montana/GM………… 2.581

Courier/Ford………… 574

Hoggar/Peugeot……. 313

__________

Rafael Gatti é idealizador do projeto Design Simples.

.