header_img

terça-feira, 30 de março de 2010

Oportunidades Brasil x Mundo - Parte 2

Oi galera. Fiquei na duvida entre postar uma resposta pro Post do Rafael e fazer um post novo...e aqui estou eu.

Bom, queria dividir com vocês um pouco do que eu descobri sobre o mercado lá fora, saindo um pouco dos projetos de produtos vendidos pra empresas européias e falando sobre uma outra àrea do design.

No meio do ano passado fui pra Londres fazer um curso de verão de Design de Eventos na Central Saint Martins College of Design. É uma das faculdades de design (principalmente de moda) mais reconhecidas do mundo, de onde sairam Vivienne Westwood, Stela McCartney e Alexander Mcqueen.
Bom, uma das melhores coisas em fazer um curso destes em uma faculdade destas é que você conhece MUITA gente do mercado, pessoas do mundo inteiro...e também troca experiências com todo tipo de gente.

O que eu descobri é que, em Londres por exemplo, os designers que não são a própria Vivienne Westwood ou o falecido Alexander Macqueen penam que nem a gente pra conseguir se sobresair no mercado. Aliás, depois da crise mundial, a grande maioria tem que se desdobrar trabalhando em 3,4,5 àreas diferentes do design pra conseguir alguma coisa. A diferença pro Brasil é que, quando eles conseguem, eles ganham em Libras ehehe.

Uma coisa muito interessante é que a grande maioria dos designers de eventos e designers gráficos e de moda acabam trabalhando como autonomos, mas são "agenciados". Explicando melhor: existem agências que funcionam como um intermediário entre os clientes e os designers. Eles criam um "banco de profissionais" que são contatados e contratados conforme as necessidades dos clientes. A minha professora do curso, por exemplo, a partir destas "agências" conseguia trabalhos muito bons em design gráfico, eventos e cenografia pra filmes. Como uma designer não muito conhecida, ela tinha conseguido criar toda a identidade visual e conceito do casamento da Gwen Stephani, a vocalista da banda "No Doubt" e a cenografia de um filme com a Jennifer Aniston, por exemplo.

Sei que a maioria aqui está interessada no design de produtos (eu também) mas achei interessante dividir com vocês um pouco sobre o design de eventos e gráfico lá fora. Designers "in house" são cada vez mais raros nesses tempo de crise - eles preferem pegar o maximo de freelas que puderem, e ganhar uma grana preta por projeto. Mas, se mesmo assim, eles preferirem ser os escravos de alguma agência, vão se dar muito bem com o salário de um designer junior - recém saído da faculdade, que é de no mínimo 18.000 libras por ano (aproximadamente R$4500 por mês).

Aqui no Brasil, segundo o "salariômetro" do governo ( www.salariometro.sp.gov.br ), o mesmo profissional ganha em média R$2.500 por mês - teoricamente, é claro.

.